06 ago 2015

102 in Memoriam

Ainda posso sentir o cheirinho de frango assado, o piso da cozinha ainda está molhado
Sinto paz ao observar o pequeno tanque de lavar roupas cheio de água limpa
e graça ao ouvir histórias das mais variadas bolinhas coloridas
Sinto o macio da terra molhada sob meus pés
e a beleza da dança dos pássaros
Ouço a lucidez das palavras doces
Sinto o cheiro de lembranças boas vindas de um velho cachimbo
E vejo passos firmes e uma boa memória
Percebo a delicadeza de velhas recordações
Amo a maturidade numa alma com a essência de criança
Sinto o perfume da experiência
e este perfume ilumina a minha existência!

305390_277017595648841_2353922_n314757_278688292148438_356967120_n

Poema publicado na Antologia Âmago pela Editora Regência em 2011.

Fiz esse poema em homenagem a minha Bisa, mãe da minha avó, pouco depois que ela havia falecido: lúcida, linda, doce e centenária.
As fotos são da Aghata Gameiro Fotografia no dia lançamento da antologia, a Agatha tem fotos lindas, vale muito a pena conferir o portfólio dela.
E sim, este ser da foto sou eu! rs

Deixe seu comentário